Terça-feira, 2 de Setembro de 2008

Carlos Barretto Contrabaixo

José Menezes Saxofone

José Salgueiro Bateria

 

Três músicos que dispensam apresentações e cujas carreiras representam uma parte da história do jazz em Portugal. Três instrumentistas que abordam os seus instrumentos com uma entrega impressionante. Três amigos que mostram o prazer que têm  cada vez que pisam o palco.

 

Carlos Barretto
Nasceu no Estoril, a 18 de Julho de 1957. ‘Meu pai tocava guitarra e harmónica cromática. Ouvia insistentemente (e com um volume de som considerável) discos de Miles, Parker, Gillespie, Coltrane, Mingus, Monk, Ornette, mas também Elis Regina, Chico Buarque, Baden Powell, Gismonti, Hermeto Pascoal, Stravinsky, Bach, Os Tubarões, Milton Nascimento, Tchaikowsky...’. Foi neste ambiente que nasceu e cresceu Carlos Barretto.

Aos seis anos interessou-se pela guitarra, com dez iniciou estudos de piano e solfejo no Conservatório Nacional de Música de Lisboa. No início dos anos 70, por iniciativa de Luís Villas-Boas, tiveram lugar os primeiros festivais de Jazz (Cascais) de que há memória em Portugal. Foi aí que Carlos Barretto, impressionado com a mestria dos instrumentistas que aí desfilavam, despertou interesse pelo contrabaixo. Estudou com o professor Armando Crispim, com quem terminou o curso do Conservatório Nacional de Música de Lisboa. Paralelamente, frequentou a primeira escola de Jazz do país (a do Hot Clube de Portugal) e fez as primeiras experiências amadoras, com músicos locais. Estudou, mais tarde, com o mestre Ludwig Streischer, na Academia Superior de Música de Viena (Áustria). Nesta cidade teve a oportunidade de trabalhar com músicos de jazz, como Fritz Pauer (acompanhador regular de Art Farmer) Joris Dudli e Christian Radovan (elementos da Vienna Art Orchestra). Regressa a Lisboa, ingressando na Orquestra Sinfónica da RDP, e colaborando em projectos de artistas da música popular portuguesa. Por esta altura, a profissionalização do Jazz dava os primeiros passos em Portugal, Carlos Barretto colaborou em concertos na companhia de músicos da sua geração, como Mário Laginha, Carlos Martins e Mário Barreiros, entre outros.

Em 1984, reflexo do frustrante panorama cultural e artístico que então se vivia em Portugal, Carlos Barretto estabelece residência em Paris, apostado em fazer da música improvisada a sua filosofia de vida e carreira profissional. Naquela cidade encontrou um mercado muito mais vasto no plano jazzístico, tendo actuado nos mais prestigiados clubes de Jazz, como o New Morning, o Magnetic Terrasse, Petit Journal Montparnasse, La Villa, Bilboquet, Dunois, etc., onde se apresentou ao lado de músicos de nomeada, tais como Steve Grossman, Steve Lacy, Steve Potts, Barry Altschul, Aldo Romano, Hal Singer, Alain Jean Marie, George Brown, Michel Graillier, entre muitos outros. Participou em inúmeros festivais em França, com destaque para os de Coutances (Jazz sous les Pommiers), Jazz à Vienne, Jazz à Marciac, Radio France (Paris , Montpellier), Festival de Calvi (Córsega), Banlieues Bleues (Paris), Nantes, Perpignan, Limoges, etc., ao lado de músicos de renome como Horace Parlan, Tony Scott, Lee Konitz, Glenn Ferris, Siegfried Kessler, John Betsch. Em 1990, gravou um CD ao vivo com Mal Waldron, na Bélgica, seguindo-se uma série de concertos em Amsterdão, Roterdão, Metz, Le Havre, Nantes e Paris. Participou igualmente em emissões de rádio com destaque para as da Radio-France (concertos transmitidos em directo ou diferido) com Mal Waldron, Richard Raux, François Chassagnite, Jeff Sicard, e para a France-Inter com Lee Konitz, Carlos Barretto Quartet. Quanto à televisão, assinala a sua presença na TV-M6 com Horace Parlan, Tony Scott e John Betsch. Ainda durante a sua estadia em França, teve ocasião de tocar em diversas formações noutros países, como Suíça, Holanda, Alemanha, Bélgica, Espanha, Andorra, Itália, Hungria, Áustria.

De regresso a Portugal, em 1993, foi convidado a leccionar na Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal. Integrou formações nacionais actuando em concertos e festivais em todo o país, com destaque para o Festival Europeu do Porto, Fundação de Serralves, Centro Cultural de Belém, Encontros de Jazz em Évora, Jazz em Lisboa, Festival de Jazz de Guimarães, inúmeros concertos no Hot Clube de Portugal, onde se destacam as prestações com Lee Konitz, John Stubblefield, George Cables, Lynne Arrialee, Cindy Blackman e com a sua própria formação (Carlos Barretto Quintet), que incluía Perico Sambeat, François Théberge, Bernardo Sassetti e Mário Barreiros. Com esta formação gravou o seu primeiro CD como líder - ‘Impressões’(para a editora Movieplay), tendo efectuado concertos em Portugal, Espanha, França e Suiça, sempre com rasgados elogios por parte da crítica especializada. Em 94 volta a trabalhar com o ‘George Cables Trio’, gravando o CD ‘Alone Together’ (Groove - Movieplay). Com o seu quinteto, ou como convidado de outras formações, Carlos Barretto esteve presente em Espanha, Angola, Cabo-Verde, Argentina e Marrocos. 1996 - Reformula o seu quinteto (desta vez com Bob Sands, Perico Sambeat, Albert Bover, e Philippe Soirat) e grava ‘Going Up’ (Challenge - Dargil.), considerado o melhor CD do ano (1996) em Portugal e distinguido com o Prémio Villas Boas da Câmara Municipal de Cascais. Nova Tournée e presença nos festivais internacionais do Porto, Acarte (Lisboa), Seixal, Loulé, Guarda, Madrid e Barcelona. Nesse mesmo ano grava ‘Passagem’ de Carlos Martins (Enja - com Cindy Backman e Bernardo Sassetti). 1997 - Ano de grande actividade para Carlos Barretto, em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente em Espanha, França e Inglaterra, países onde foi convidado a acompanhar grandes nomes do Jazz como Art Farmer, Brad Mehldau, Kirk Lightsey, Don Moye, Gary Bartz e Joe Chambers. Forma um novo grupo com José Salgueiro e Mário Delgado - Suite da Terra - a fim de experimentar sonoridades diferentes. Em Dezembro de 97 faz alguns concertos em Espanha e grava ‘Jumpstart’ (Fresh Sound) com o Quarteto de Bob Sands. 1998 - O ‘Trio de Carlos Barretto’ grava ‘Suite da Terra’ (BAB - Dargil) com a intenção de experimentar a fusão entre as melodias e ritmos de raiz tradicional portuguesa com a música improvisada, alguns elementos do rock, e também sabores africanos ou orientais. Carlos Barretto compôs ‘Os seis sentidos’, coreografados por Ana Rita Barata e Peter Michael Dietz para o Festival dos 100 Dias (Expo 98), integrado no espectáculo ‘Quadrofonia do Tempo’ - com Bernardo Sassetti, Carlos Martins e Laurent Filipe. Em Maio, lançamento do CD ‘Suite da Terra’ e consequente tournée pelo país, várias passagens na Expo 98 e viagem até Macau para uma série de concertos. 1999 - Com Bernardo Sassetti, Mário Barreiros e Perico Sambeat, o Quarteto Carlos Barretto edita o CD ‘Olhar’ (Up Beat), considerado um dos melhores CD’s do ano e apresentado ao vivo em vários espectáculos por todo o País. 2000 - Grava ‘Silêncios’, segundo trabalho discográfico do seu trio com Mário Delgado e José Salgueiro (Foco Musical). Com o Quarteto actua por todo o País, incluindo Açores, e Espanha. Integra o programa de concertos Unifonia em digressão pelas universidades portuguesas. Estreia o seu projecto «Solo Pictórico», com música e pintura da sua autoria apresentando-se em vários espectáculos. Desenvolve um projecto pedagógico direccionado para a descoberta de novos instrumentistas nos Workshops de que dirige, criando obras originais para ensembles de Contrabaixo.

De então para cá tem procurado levar a cabo as diversas explorações a que se entrega, tendo nos In Loko o ponto focal dessas explorações e tentando aceitar os muitos convites que recebe para acompanhar outros músicos.


José Menezes
Nasceu no Porto em 1957. É licenciado em Jazz pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto, Estudos de Composição em Madrid e Pontevedra tendo como professores Jack Walrath e Bill Dobbins. Estudou saxofone com Dave Schnitter, Gerry Niewood, Alan Skidmore, David Liebman, Jan Garbarek e Joe Lovano. Curso de Pedagogia Musical de Jos Wuytack. Foi um dos fundadores da Escola de Jazz do Porto (1982); director do programa de Música e Novas tecnologias na Escola Profissional de Música de Almada (2000), fundador e Director Pedagógico da Escola de Jazz de Torres Vedras (2002); director pedagógico dos workshops de Perico Sambeat (2002), Dave Schnitter (2003), David Binney (2004) e Nguyen Lê (2006) na Escola de Jazz de Torres Vedras; director do projecto pedagógico "O Jazz Vai à Escola", acção pedagógica sobre Improvisação (2005) e é o director artístico e produtor do Festival TVedrasJazz.

Trabalhou, entre outros, com :
Orquestra Sinfónica da RDP-Norte
Orquestra Regional do Norte

Ensemble de António Pinho Vargas
Decateto de Mário Laginha
Maestros Dieter Glawischnig, António Vitorino de Almeida, Miguel Graça Moura, Ferreira Lobo, Pedro Osório, e Thilo Krassman
Carlos Mendes
Herman José

Rogério Botter Maio
Paulo Gonzo

Luís Represas
Sérgio Godinho
Tito Paris
Dany Silva

Laurent Filipe
Sara Tavares
Lena d'Água
Rita Guerra
Helena Vieira

Actualmente dirige a Big-Band do Oeste, o Quinteto de José Menezes, os "UBU-4teto de saxofones" e integra os L.U.M.E - Lisbon Underground Music Ensemble (L.U.M.E.).

José Salgueiro
Estudou na Academia dos Amadores de Música, Conservatório Nacional de Lisboa e Hot Clube de Portugal. Na área da Música Popular toca e grava com os Trovante, Sérgio Godinho, Zeca Afonso, José Mário Branco, Rui Veloso, Resistência, Pedro Burmester entre outros. Em 1988 vai a Barcelona estudar teoria da improvisação (bateria e trompete) no Tallers de Musics. Estudou com Max Roach, Billy Hart, Ron Maclure, David Liebman, Richard Beirach, Paulo Motian entre outros. Fez vários tours internacionais com Maria João, Mário Laginha, Carlos Bica e José Peixoto. As participações em projectos de Gaiteiros de Lisboa, Bernardo Sassetti, Carlos Barretto, João Paulo e Paulo Ribeiro são constantes. É um dos co-fundadores do projecto Tim Tim Por Tim Tum e produtor de vários trabalhos musicais, abrangendo áreas tão diversas como a pop, o jazz, a música tradicional ou infantil. Em 98 concebeu, a partir de um convite da Expo’98, o espectáculo 'Adufe', que tem vindo a ser apresentado por todo o país e no estrangeiro.


 

Saber mais...

Página web oficial de Carlos Barretto

Myspace de José Menezes

Myspace de José Salgueiro



publicado por Portugal Jazz às 12:29
link do post | adicionar aos favoritos

AGENDA

Fevereiro
02 e 03 - Coimbra
03 e 04 - Torres Novas
Apoios
Destaques
Fotografia | Vídeo | Reacções
Contactos
geral@portugaljazz.org
Tel +351 239 837 078
Morada
Largo D.Dinis - Apartado 3149
3000 - 401 COIMBRA
tags

todas as tags

arquivos

Janeiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Setembro 2007

Abril 2007

subscrever feeds